O que é o Tarô – Parte I

Neste artigo eu gostaria de falar um pouco sobre o Tarô. Não pretendo escrever em termos muito teóricos. Pelo contrário, procurarei falar de forma mais didática, para que pessoas que não tiveram ainda contato com o oráculo, possam conhecê-lo e ter uma idéia verdadeira do que seja.
 
Já ouvi de muitas pessoas indagações sobre uma possível relação do Tarô com espíritos, religiões e afins. E você, o que pensa a respeito?
 
Existem pessoas que seguem determinadas religiões, que possuem “habilidades” – como vidência, por exemplo – e que se utilizam do Tarô como um complemento. Perfeitamente normal e aceitável. Como diversos autores dizem, não seria nem necessário utilizá-lo. Mas há quem prefira.
 
Independentemente disso, o Tarô não tem ligação alguma com religiões, dogmas, seitas, espíritos ou qualquer outra coisa do gênero. Ao contrário do que muitos pensam, para entendê-lo, faz-se necessário estudar e praticar muito para apreendê-lo e utiliza-lo, seja apenas como autoconhecimento, conselho, seja para fins de previsão. Apesar que pertenço ao grupo dos que acreditam que não há dissociação entre as finalidades, que ambas caminham juntas. Mas isso é assunto para outro artigo.
 
Como assim?
 
O Tarô é basicamente um conjunto de cartas desenhadas. Estes desenhos possuem significados de acordo com a simbologia. Daí a necessidade do estudo. Vejamos algumas cartas a seguir:
 
Arcano O Papa
 

 

 
Da esquerda para a direita: O Papa (Medieval Scapini); O Papa (Radiant Rider Waite); O Papa (Cosmic)
 
Quando vemos as cartas acima, ao que elas nos remetem? O que nos vem à cabeça quando pensamos no que O Papa – também chamado de Hierofante – representa? Estas são exemplos de algumas perguntas que gosto de fazer quando vou estudar algum Arcano do Tarô. Respondendo-as, pensamos em alguém que prima pela moral, pelos bons costumes, pela lei, pelo correto, pela sabedoria. De uma forma mais sintética, esses são alguns dos significados para o presente Arcano.
 
Abaixo exemplos de outros Arcanos:

 

 
Da esquerda para a direita: Dez de Ouros (Medieval Scapini); Dez de Ouros (Radiant Rider Waite); Dez de Ouros (Cosmic)
 
Conforme mencionei no início, minha intenção aqui é a de explicar de forma bem básica que o Tarô não tem ligação alguma com religiões e afins. Recapitulando, ele é constituído de um sistema simbólico carregado de significados. E é a análise dos símbolos que permite a nós interpretarmos, diante de um jogo onde faz-se uma pergunta, o que está sendo-nos respondido.
 
Espero que tenha ficado claro. Nos próximos artigos vamos explicitando aos poucos e melhor, sobre o Tarô.
¬